Bê a Bach estreia no dia 05 de agosto no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo

Matéria e foto: Divulgação

Um dos maiores nomes da música mundial, o alemão Johann Sebastian Bach, terá parte de seu universo nos palcos, dentro do espetáculo infantil Bê a Bach que estreia no dia 05 de agosto no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo.

Nele quatro atrizes acompanhadas por flauta, violão e violoncelo, traduzem em forma e movimento a perfeição cristalina e as emoções do universo sonoro de Bach.

A peça contará com diversos atrativos para as crianças com música ao vivo, dança, cores, formas e texturas, tudo junto e misturado. Bê a Bach celebra a união do grupo Furunfunfum e da Cia. Noz de Teatro, Dança e Animação, conjugando suas linguagens e evidenciando o que cada um tem de melhor.

Bê a Bach nasceu como um espetáculo sem palavras, com muita música, movimento, formas e cores. Assim todos podem entrar nessa viagem musical, inclusive bebês.

Embora o grupo Furunfunfum e a Cia. Noz de Teatro, Dança e Animação já se conheçam há muito tempo, nunca tinham trabalhado juntos. Gostar de Bach, reconhecer que sua música provoca a imaginação e pode ser divertida foram os motivos que uniram as duas companhias. A música ao vivo e a pesquisa musical sempre marcaram as produções do Furunfunfum, e a dança e a manipulação de objetos, marcas dos espetáculos da Cia. Noz, possibilitaram os exercícios de imaginação que levaram à criação de Bê a Bach.

A música de Bach pode ser tocada em qualquer tipo de instrumento musical (flauta, violão e violoncelo), mas também com novos instrumentos, virtuais (sintetizadores e processadores de efeitos). O espetáculo também mostrará um pouco de como se dançava na época que Bach viveu e também novos jeitos de se dançar.

Ficha técnica:
Direção geral: Anie Welter e Marcelo Zurawski
Direção musical: Marcelo Zurawski e Sérgio Zurawski
Arranjos e trilha sonora: Sérgio Zurawski
Design sonoro: Bipolar Estúdio (Sérgio Zurawski)
Elenco: Aline Alves, Anie Welter, Nathalia Kwast e Renata Maciel
Elenco stand in: Maiara Roquetti
Músicos: João Guilherme Figueiredo, Marcelo Zurawski e Marcio Guedes Correa
Músico stand in: Sérgio Zurawski
Iluminação: Kleber Montanheiro
Figurinos: Amarilis Arruda
Cenografia, adereços e bonecos: Anie Welter
Maquiagem e visagismo dos bonecos: Nathalia Kwast
Ateliê criativo: Daniel Sapiência, Fe Kokotch, Paulo Olyva e Carlos Welter
Assessoria pedagógica: Paula Zurawski
Assessoria dança barroca: Rachel Aranha e Clara Rodrigues Couto
Design gráfico: Gabriel Victal
Fotos: Vitor Vieira
Estagiário de Fotografia: Fellipe Oliveira
Direção de produção: MoviCena Produções (Jota Rafaelli e Rafael Petri)
Assistente de produção: Luciana Venâncio
Assessoria de imprensa: Fabio Camara
Realização: Centro Cultural Banco do Brasil

Serviço:
Bê a Bach (05 de agosto até 16 de dezembro)

Quando: Sábado (11h)
Local:
CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil (Rua Álvaro Penteado, 112, Sé)
Ingressos: R$ 20,00
Capacidade: 112 lugares
Duração: 50 min
Classificação: a partir de 01 ano

Furunfunfum

Furunfunfum é a onomatopéia de um toque de sanfona, podendo significar também festa, bagunça, farra, folia… Nosso teatro é um pouco como um baile de forró ou um show de rock, onde a participação do público faz parte do espetáculo. Utilizamos em nossas montagens várias técnicas e estilos teatrais e, como os atores ambulantes podemos apresentar nossos espetáculos em qualquer lugar onde haja um público disposto a compartilhar um emocionante encontro teatral. É difícil dizer se fazemos teatro infantil também para adultos ou teatro adulto também para crianças! Melhor é dizer teatro para todos os públicos. Faz 25 anos que estamos “furunfunfando” por aí e ganhamos vários prêmios, no Brasil e no exterior!

Cia. Noz

A Cia. Noz de Teatro, Dança e Animação desde 2004 trabalha com diferentes linguagens e faz pesquisas com atores e objetos, misturando, com muita criatividade, interpretação, dança, música, artes plásticas e animação. Por isso é uma companhia muito contemporânea! Foi umas das primeiras companhias brasileiras a incluir os bebês e crianças bem pequenas como público de seus espetáculos. Os nomes de suas peças são muito divertidos: Oras Bolas (2005),  100 + Nem Menos (2009), POP (2011),  Cocô de Passarinho (inspirado na obra de Eva Furnari, 2013) e O Sonho de Maria Luisa (2015).

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *