Instituto Tomie Ohtake e Bank of America Merrill Lynch apresentam Conversas – Fotografias da Coleção Bank of America Merrill Lynch

Abertura: 12 de abril, às 20h – 04 de junho de 2017

Matéria e foto: Divulgação

O Instituto Tomie Ohtake e o Bank of America Merrill Lynch trazem ao Brasil a exposição Conversas, com mais de 100 imagens de 100 fotógrafos internacionais, pertencentes à Coleção Bank of America Merrill Lynch, com curadoria de Anne Havinga e Karen Hass, do Museum of Fine Arts de Boston. Trata-se de uma rara oportunidade de ver reunidos trabalhos dos mais icônicos nomes da produção mundial. Com obras concebidas de 1860 até os dias atuais, a mostra, com retratos, paisagens, trabalhos documentais e experimentais, traça um panorama significativo da fotografia ao longo dos últimos séculos.

A coleção chega pela primeira vez ao Brasil e já foi apresentada no Museum of Modern Art  de Dublin, no Museo del Novecento em Milão, e no Colegio de San Ildefonso na Cidade do México. A exposição faz parte do programa Art in our Communities®. “Por meio desse programa, museus e galeria recebem, sem custos, coleções completas do Bank of America Art Collection para exposições. Com esta iniciativa, por um lado geramos uma receita importante para essas instituições e de outro oferecemos acesso ao público a relevantes obras artísticas. Desde o lançamento do programa em 2008, foram viabilizadas mais de 120 exposições ao redor do mundo e o Brasil está incluído nesse circuito de incentivo à arte”, conta Thiago Fernandes, Head de ESG do Bank of America Merrill Lynch para América Latina.

Paulo Miyada, curador do Instituto Tomie Ohtake e também responsável pela atual montagem da exposição, apontou alguns aspectos deste recorte da coleção que chega ao país. Dos pioneiros do século XIX, ele ressalta as pesquisas, técnicas e a relação com a pintura nas obras de Gustave Le Gray, Charles Negre, Roger Fenton, Julia Margaret Cameron e Alfred Stieglitz.

Já nas imagens de Walker Evans, Dorothea Lange (mulher pioneira na fotografia), Paul Strand, Mike Disfarmer, Joe Rosenthal, Laura Gilpin e Gordon Parks, o curador observa os registros do território norte-americano – retratos, paisagens, os movimentos negros, etc. – no início século XX, período da Grande Depressão. Na fotografia experimental do século passado, ele destaca produções como as de László Moholy-Nagy, Man Ray, Maurice Tabard, Pim Van Os e Jaromír Funke.

Para Miyada, a fotografia contemporânea e a representação dos Estados Unidos, seu vasto território, sua cultura e seus personagens estão sublinhados no olhar de William Eggleston, Robert Frank, Lee Friedlander, Carrie Mae Weems, Roy DeCavara, Helen Levitt, Bruce Davidson, entre outros. Ele assinala, ainda, a presença de fotógrafos da Escola de Frankfurt pelo legado de Bernd e Hilla Becher. Além da própria dupla, sob esse viés estão também Andreas Gursky, Candida Höfer, Thomas Ruff e Thomas Struth.

Por sua vez, ainda segundo o curador, a exposição, contempla artistas contemporâneos que se utilizam da fotografia como suporte, como Hiroshi Sugimoto, Cindy Sherman, Ed Ruscha, Felix Gonzalez-Torres e o brasileiro Vik Muniz.

Exposição:
Conversas – Fotografias da Coleção Bank of America Merrill Lynch (de 12 de abril até 04 de junho)
Quando: de terça a domingo (das 11h às 20h)
Local: Instituto Tomie Ohtake (Avenida Faria Lima, 201, Pinheiros – Complexo Aché Cultural – entrada pela Rua Coropés, 88)
Ingressos: entrada franca

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *