Mafalda Minnozzi comemora 20 anos de Brasil no Auditório Ibirapuera

mafalda-minnozzi

Matéria: Divulgação

Cantora italiana lembrou sucessos e contou com a participação de amigos como Dani Black, Simoninha, Blubell, Fabiana Cozza, Carlos Careqa e Mario Manga em show memorável

A cantora italiana Mafalda Minnozzi passou pelo Auditório Ibirapuera na última sexta-feira, 23, para comemorar com público, amigos e convidados os seus 20 anos de carreira no Brasil.

Acompanhada por Paul Ricci (guitarras), Thiago Rabello (bateria) e Sidiel Vieira (baixo acústico), Mafalda lembrou sucessos que ainda estão guardados no coração dos brasileiros amantes das músicas europeias. “É sempre um prazer subir ao palco no Brasil. O público é participativo, faz você querer ficar horas fazendo isso. É muito encantador”, conta. O show contou com as participações especiais de Carlos Careqa, Fabiana Cozza, Dani Black , Simoninha e o violoncelista Mario Manga.

O carisma e simpatia da cantora deram o toque especial que fechou a noite. Apesar do grande espaço, o Auditório se tornou um local intimista para um espetáculo cheio de emoções e recheado de carinho tanto por parte da artista quanto por seu público.

As comemorações de Mafalda ainda continuam por Belo Horizonte, onde ela se apresenta no dia 28 e Porto Alegre no dia 29.

Sobre Mafalda e o Empathia

Durante esses 20 anos no Brasil, Mafalda Minnozzi já foi reconhecida pelo jeito alegre e ao mesmo tempo pela sinceridade e paixão com as quais interpretou inúmeras canções de sua terra natal, a Itália. Agora, em nova fase, a cantora volta ao nosso País, que ela chama de casa, para mostrar o quanto interiorizou da sua vivencia musical por aqui.

Ao repaginar sua persona carismática, Mafalda foca no amadurecimento artístico de mais de duas décadas e traz as inspirações da criança que ouvia, fascinada e com os olhos fechados, suas divas Edith Piaf, Ella Fitzgerald, Billie Holiday e Caterina Valente. “Foi estudando os tons e expressões dessas vozes que aprendi a medir a minha potencia natural. Isso me ajudou a vencer alguns concursos para jovens talentos na Itália, na década de 1980, que foi meu start para essa viagem musical”, recorda Mafalda. “E agora, vou rever todas essas cores do jazz nesse novo momento”, completa.

Ao longo da carreira, Mafalda lançou no Brasil 10 Cds, dois DVDs e 21 coletâneas, participou de programas de grande audiência, teve músicas na trilha de grandes novelas e filmes, e realizou inúmeras turnês por todo o País. Mesmo com popularidade consolidada, sua volta aponta para um caminho diferente, construído ao longo de todos esses anos, mas com novas nuances e mais conceitual, mais sensível a um público que não está interessado somente no popular. “Os palcos e a imprensa de Nova York deram e continuam dando força e credibilidade a proposta recebendo eMPathia com muito carinho”, conta a cantora, que, em fevereiro, ganhou elogios após apresentações em jazz clubes de tradição como o Zinc Bar e em centros culturais como a Casa Zerilli- Marimò da New York University e a emissora radiofônica WKCR, na Columbia University. O show que acabou de realizar no mês de agosto no Birdland, o lendário clube entre os mais famosos no mundo, destaca definitivamente Mafalda Minnozzi no atual cenário musical internacional como cantora de primeira grandeza

Resultado de uma longa trajetória ao lado do guitarrista nova-iorquino, Paul Ricci – a qual vem sendo construída pelos palcos do mundo inteiro, eMPathia é também um agradecimento ao músico. “Meu desejo é transparecer para as pessoas essa coisa extraordinária que acontece entre nós dois. Nós subimos no palco e transformamos nossos encontros em algo complemente mágico. É um casamento de caráter espiritual e profissional”, diz Mafalda.

Nessa fase de jazz e bossa, a artista italiana optou por trabalhar com o produtor Jeff Jones “the jedi master”, vencedor de inúmeros Grammys e responsável pelo fascinante som de INSIDE, a mais recente produção discográfica de eMPathia. “O disco é um fluxo leve irrefreável de atmosferas musicais, onde a voz atlética da cantora italiana e a refinada técnica do guitarrista nova-iorquino surpreendem pela facilidade de aproximar-se, distanciar-se, perseguir-se e encontrar-se novamente”, comenta o próprio Jeff.

Por 20 anos, Mafalda Minnozzi cantou no Brasil suas origens, suas inspirações, em muitos palcos, de muitas emoções, mostrou o seu talento, sua versatilidade, sua irreverência, criou laços, interações e colaborações preciosas (Milton Nascimento, Guinga, Martinho da Vila, Fabiana Cozza, Simoninha e Isabella Taviani entre outras) graças às quais elaborou um som original enriquecido por mil detalhes. Com tudo isso na sua bagagem, ela viaja o mundo e continua desenvolvendo sua incrível carreira “Sinto, hoje, meu som livre, intimista, cheio de referências, mas muito moderno. Estou mais feliz do que nunca!”, conclui a cantora.

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *