Maria Rita traz “Coração a Batucar” em show no Citibank Hall, em São Paulo

maria-rita

Expoente do samba, a artista lança versão especial do último disco, vencedor do Grammy Latino,
que agora vem com DVD gravado ao vivo

Matéria: Divulgação
Foto: Mila Maluhy

Maria Rita irá apresentar o seu samba legítimo e de qualidade em show exclusivo no Citibank Hall, em São Paulo. Na ocasião, com data marcada para o dia 17 de abril, a cantora estará lançando a versão especial de seu oitavo álbum de estúdio, “Coração a Batucar”, que agora virá acompanhado de um DVD gravado em um show exclusivo e intimista no estúdio Cena, em São Paulo.

“Mais uma vez, aqui estou, não vou negar, eu vou representar com todo meu amor, cantando por aí, levando a alegria pro meu povo, não há nada que me faça mais feliz. É tão encantador. Meu samba, sim, senhor.”

Este trecho, retirado da nova canção “Meu Samba, Sim, Senhor”, dá o tom para o espetáculo, que vai mostrar canções do CD “Coração a Batucar”, eleito o Melhor Álbum de Samba no Grammy Latino 2014, como “É Corpo, É Alma, É Religião”, “Abismo”, “Rumo ao Infinito” e “Bola pra Frente”, além, claro, de canções que marcaram o rico repertório da renomada artista, como “Mainha me Ensinou”, “O que É o Amor”, “No Mistério do Samba” e “Tá Perdoado”.

O disco

“Coração a Batucar” começou a tomar forma quando Maria Rita foi convidada pela produção do festival Rock in Rio a montar show exclusivo para o palco Sunset, em 2013. Foi quando ela resolveu dar vazão à paixão por Luiz Gonzaga Jr, o Gonzaguinha. “Ali, o bicho pegou. Veio a reação da plateia… foi demais!”, recorda. Além disso, a repercussão de “Samba Meu” (seu primeiro álbum do gênero) nas redes sociais e os diversos prêmios recebidos – como o Grammy Latino de melhor álbum de samba – não deixaram dúvida: “Não posso dizer que comecei a fazer a pesquisa de repertório já pensando num disco de samba. Foi acontecendo”.

Puxado por “Rumo ao infinito” (Arlindo Cruz, Marcelinho Moreira e Fred Camacho), escolhida a primeira música de trabalho e em alta rotação nas rádios brasileiras, “Coração a Batucar” traz ainda a canção “Meu Samba, Sim, Senhor”, dos mesmos Marcelinho Moreira, Fred Camacho e Leandro Fab, que abre o disco: “Mais uma vez/ Aqui estou/ Não vou negar/ Eu vou representar com todo meu amor/ Cantando por aí/ Levando a alegria pro meu povo/ Não há nada que me faça mais feliz/É tão encantador/ Meu samba, sim, senhor.”

O repertório traz ainda “Fogo no paiol”, de Rodrigo Maranhão, “Abre o peito e chora” (Serginho Meriti) e “No meio do salão”, de Maurílio de Oliveira e Everson Pessoa, do novo samba paulista, da tradição do Samba da Vela. Do baú de Almir Guineto veio a bem-humorada “Saco Cheio” (Dona Fia e Marco Antonio). Os refrãos irresistíveis de Xande de Pilares e Gilson Bernini estão presentes em “Bola pra Frente” e também em “Mainha me Ensinou”, canção que a dupla assina ao lado de Arlindo Cruz. E de Joyce Moreno recebeu uma espécie de declaração de princípios em “No Mistério do Samba”: “Que bom que é poder mergulhar no mistério do samba”.

Aos que perguntam se é uma volta ao samba, sete anos depois de seu primeiro trabalho dedicado integralmente ao gênero, Maria Rita responde primeiro com os versos de “É corpo, é alma, é religião”, faixa de Arlindo Cruz, Rogê e Arlindo Neto, que encerra o disco: “Eu não nasci no samba, mas o samba nasceu em mim”. Depois, ela completa com a sua própria história: “É uma coisa intrauterina. Minha mãe adorava sambas e gravou muitos. Eu sempre estive aqui. Não posso estar voltando de onde nunca saí”.

Serviço:
• Maria Rita

Gênero: MPB
Quando: 17/04
Local: Citibank Hall (Avenida das Nações Unidas 17.955, Santo Amaro)
Ingressos: de R$ 80,00 a R$ 240,00
Censura: 16 anos
Estacionamento: R$ 45,00

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *