Otávio Müller em A Vida Sexual da Mulher Feia

A Vida Sexual da Mulher Feia

De Claudia Tajes
Direção Otávio Müller
Supervisão Amir Hadad 

Estreia dia 10 de Janeiro de 2014
Teatro Folha

Comédia pop que narra o universo da mulher feia e suas descobertas
abre temporada 2014 do Teatro Folha, revelando que ser
feia é tão somente uma questão de espírito.

Matéria e foto: Divulgação

Otávio Muller dá vida à Maricleide, que goza de uma autocrítica impagável e não perde tempo em se indispor à ditadura da beleza.

Baseado no livro homônimo de Claudia Tajes, sucesso absoluto em vendas, o espetáculo não deixa nenhuma mulher ou homem imune à insegurança da personagem. Afinal, quanto mais se olha no espelho, mais imperfeições aparecem.

Com a crueza de um consultório de terapeuta, é possível acompanhar suas aventuras amorosas, primeiro beijo e primeira transa.

Em seu livro, Tajes criou uma protagonista sem rosto, não esmiuçou descrições físicas, não impôs uma caracterização isolada. Esse recurso facilita a identificação ampla e abrangente do público.

Embarcando no sucesso do livro, o espetáculo agrada a todos – homens e mulheres, feios ou não. Afinal, todo homem já se sentiu o próprio Shrek algum dia e até a princesa mais linda já teve o seu dia de Fiona.

Quem nunca esteve acima do peso? Quem nunca se viu apavorado ao constatar os estragos feitos pelos hormônios da adolescência?

Ao acompanhar os relatos hilários do diário amoroso da personagem, a identificação é inevitável, o que faz com que a história se torne ainda mais engraçada. Afinal, tem coisa melhor do que rir de nós mesmos?

Não se trata da risada sádica, que segrega as formosas das horríveis e aponta o dedo para torturar, e sim da risada generosa e solidária, imbuída da reflexão e do combate aos condicionamentos.

No fim das contas, Maricleide descobrirá que mulher feia não é uma questão de aparência e sim um estado de espírito.

Sobre Otávio Müller

O ator e diretor Otávio Müller, começou a carreira artística na Casa das Artes de Laranjeiras (CAL). Em 1986, como formatura de sua turma, participou da montagem de Ideias e Repetições, com textos de Jorge Luis Borges, Júlio Cortázar e Lygia Bojunga, com direção de Bia Lessa, que permaneceu um ano em cartaz. Com Bia Lessa formou uma companhia e participou dos espetáculos Orlando, de Virgínia Woolf, em 1989; Viagem ao Centro da Terra, de Julio Verne, em 1993; e O Homem sem Qualidades, de Robert Musil, em 1994. Em 1989, substituiu Orã Figueiredo na montagem do Grupo Tapa para o espetáculo A Geração Trianon, de Anamaria Nunes, com direção de Eduardo Wotzik.

No teatro, desenvolveu vários projetos, como Oeste, de Sam Shepard, dirigido por Marco Ricca, em 1996; Jantar entre Amigos, de Donald Margulies, direção de Felipe Hirsch, em 2001; Camila Baker, a Saga Continua, de Emílio Boechat, com direção de Fernando Guerreiro, em 2006; e em 2007, reestreou, ao lado de Marcelo Serrado, o espetáculo No Retrovisor, com texto de Marcelo Rubens Paiva e direção de Mauro Mendonça Filho, que estreou no final de 2002.

Na TV, Otávio começou em 1988 fazendo a novela da Globo Vale Tudo. Depois veio uma seqüência de trabalhos na televisão, entre novelas e minisséries: O Sexo dos Anjos (1989), O Dono do Mundo (1991), Memorial de Maria Moura (1994), Engraçadinha… Seus Amores e Seus Pecados (1995), Os Ossos do Barão e Anjo Mal (1997), Dona Flor e Seus Dois Maridos e Labirinto (1998), Força de um Desejo e Andando nas Nuvens (1999), Você Decide (1998/2000), Os Maias (2001), Os Normais (2001/2002), A Grande Família – Episódio: Quanto Ganha Meu Marido (2001), Desejos de Mulher (2002), Carol & Bernardo e Agora É Que São Elas (2003), Celebridade (2003/2004), Sob Nova Direção (2004/2006), Os Amadores (Especial de Fim de Ano – 2005/2007), JK (2006), Paraíso Tropical (2007), A Grande Família e Três Irmãs (2008), Aline e Programa Piloto (2009), Tempos Modernos (2010).

Atualmente Otávio Müller integra o elenco da série de sucesso da Globo, Tapas & Beijos com o hilário Djalma.

Sobre Claudia Tajes

Claudia Tajes nasceu em Porto Alegre em 1963. Redatora publicitária, estreou na literatura com Dez (Quase) Amores (L&PM Editores, 2000). Seguiram-se As Pernas de Úrsula & Outras Possibilidades (L&PM Editores, 2001) e o romance Dores, Amores & Assemelhados (L&PM Editores, 2002), A vida sexual da mulher feia (2005), Louca por homem (L&PM 2011), Vida dura (L&PM POCKET, 2008) e Só as mulheres e as baratas sobreviverão (L&PM Editores, 2009), Por isso eu sou vingativa (2011) e Sangue quente (2013).

Além de escritora, Claudia Tajes é roteirista da Globo e em 2011 teve seu livro Louca por homem adaptado para uma série no canal HBO chamado Mulher de fases. Assina uma coluna semanal no jornal Zero Hora, de Porto Alegre, onde vive.

Serviços:
• A Vida Sexual da Mulher Feia (até 02 de março)
Gênero:
 Monólogo cômico
Local: Shopping Pátio Higienópolis (Avenida Higienópolis, 618 / 2º piso)
Duração: 60 minutos
Ingressos: De R$ 50,00 a R$ 70,00
Quando: Sexta (21h30), sábado (20h e 22h) e domingo (19h30)
Censura: 14 anos
Estacionamento: R$ 8,00 (por duas horas)

Ficha Técnica:
Texto: Claudia Tajes
Adaptação: Julia Spadaccini
Direção: Otávio Müller
Elenco: Otávio Müller
Supervisão: Amir Hadad
Cenário e figurino: Adriana Schmidt
Designer de vídeo: Batman Zavareze
Assistente de direção: Danilo Watanabe
Produtor geral: Sandro Chaim
Realização: Pathavidhatu Empreendimentos Culturais e Chaim XYZ Produções

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *