São Paulo tem um espaço para Big Bands – Teatro Commune no bairro da Consolação

Crédito: Ronaldo Pallezi
Crédito: Ronaldo Pallezi

“TODA SEGUNDA É DIA DE BIG BAND” 

– Programação de agosto –

Matéria: Divulgação

“Em 1973 a cidade de São Paulo foi surpreendida pelo aparecimento de uma orquestra muito diferente de tudo o que existia na época. Na contramão das grandes orquestras de baile lideradas por Silvio Mazzuca, Luiz Arruda Paes, Erlon Chaves e outros maestros, essa orquestra não tocava para dançar, não tinha cantores, e tocava um repertório exclusivamente instrumental, mesclando jazz e música brasileira. A Big Band de Nelson Ayres se apresentou toda segunda-feira durante sete anos, abrindo o caminho para muitas outras que seguiram seus passos, como a Banda Mantiqueira, a Soundscape Big Band, Reteté Big Band e as bandas que hoje fazem parte do Movimento Elefantes”. Comenta Nelson Ayres.

Em 1994, no outro canto da cidade inaugurava o que seria a casa não só das Big Bands, como da música instrumental, onde a produtora Lucia Rodrigues teve o prazer e a competência de programar “os melhores” por 10 anos. O cult Supremo Musical. “Ali, naquele porão muito simpático da Rua Oscar Freire a Banda Mantiqueira ficou em cartaz por 8 anos.  Comenta Lucia.

Durante todos esses anos, surgiram na cidade muitos movimentos, como o Coletivo Movimento Elefantes, composto por 10 Big Bands, além de tantas de outros segmentos e estilos.

Com curadoria de Lucia Rodrigues, a cidade vem abrigando projetos residentes em temporada como Banda Mantiqueira, a Soundscape Big Band e a Reteté Big Band além do Coletivo de Big Bands Movimento Elefantes.

Segunda dia 01/08 –  Joseval Paes Big Band – 21h- Inteira: $20,00 – meia $10,00

Apresenta arranjos originais das big bands de COUNT  BASIE, THAD JONES, DUKE ELLINGTON e BENNIE GODMAN. É formada por músicos ligados ao CONSERVATÓRIO DE TATUÍ.

Completando 34 anos de carreira JOSEVAL PAES integrou várias das principais orquestras de SP  Destacam-se: maestros OSMAR MILANI, SILVIO MAZZUCA, ELCIO ÁLVARES, ZÉZINHO, dentre inúmeras outras.

Desenvolve  trabalho com saxofonista HECTOR COSTITA há 23 anos somando mais de 2300 apresentações no Brasil e exterior. É professor do Conservatório de Tatuí desde de 2002, guitarrista da big band profissional e líder da Big Band jovem da mesma instituição.
Formação: 4 saxofones,  3 trombones, 3 trompetes, guitarra, baixo, bateria.

Proposta do trabalho:
Apresentar arranjos originais das principais Big Bands americanas.

Repertório:
1. Sweet Geórgia Brown. Maceo, Pinkard
2. Big dipper.  Thad Jones
3. Base Straight ahead. Sammy Nestico
4.moten Swing. Bennie Motem
5.c Jam blues. Duke Ellington
6. Shiny stockings. Frank foster
7. One o’clock jump. Count basie
8. Sing Sing Sing.  Louis prima

Segunda dia 08/08 – Banda Mantiqueira – 21h – inteira: R$ 30,00 – meia R$ 15,00

BANDA  MANTIQUEIRA – “uma alegre reunião de talento e competência”

A ideia do que é hoje a BANDA MANTIQUEIRA  surgiu na cabeça do Nailor Azevedo, o Proveta, em 1983. Nessa época, ele morava com outros músicos numa “república” no baixo do Bixiga, em São Paulo. Nas conversas com Walmir Gil, um dos seus amigos mais próximos, comentava que “a big band é a melhor escola para o aperfeiçoamento do instrumentista pela necessária disciplina que essa formação impõe”.

Em 1985, formaram a Banda Aquarius e, em seguida, em 1985, veio o Sambop Brass sob a liderança do trombonista François de Lima, aonde Proveta e Walmir Gil eram integrantes e ajudaram na elaboração dos arranjos das músicas executadas pelo grupo.  A Banda Aquarius e o Sambop Brass fizeram sucesso em suas apresentações mas tiveram vida breve e, lamentavelmente, por falta de oportunidade, não deixaram gravado em disco o trabalho realizado.

Com confessa influência das orquestras de Severino Araújo, Thad Jones, Count Basie e Duke Ellington, Proveta procurou uma forma de contato com a obra dos grandes compositores brasileiros – Pixinguinha, Cartola, Nelson Cavaquinho, Tom Jobim, entre outros – e passou a escrever arranjos para as composições desses grandes mestres, contando com a imprescindível colaboração do trompetista Walmir Gil e do violonista e contrabaixista Edson Alves.

O processo seletivo dos músicos que compõem a BANDA MANTIQUEIRA decorreu de maneira natural. Buscou-se aos que também ansiavam por liberdade de expressão com a aplicação de uma linguagem com suingue brasileiro, embora a banda possa também enveredar por outros caminhos, levando em conta a universalidade da música.

É inegável a forte influência que todos os seus componentes tiveram, como também acontece com a maioria dos músicos de todas as partes do mundo, ouvindo grandes jazzistas como Louis Armstrong, Miles Davis, Charlie Parker, Dizzy Gillespie, Sonny Rollins, John Coltrane, Phil Woods, J. J. Johnson, Elvin Jones, Herbie Hancock, Ron Carter, Mike Stern e também os brasileiros Formiga, Papudinho, Felpudo, Casé, Moacir Santos,  Bolão, J.T. Meireles, Raul de Souza, Maciel, Don Salvador, Maestro Branco,  Laércio de Freitas,  Heraldo do Monte, Edson Machado,  e outros tantos.

Os integrantes da BANDA MANTIQUEIRA, individualmente, exercem intensa atividade nos estúdios de gravação  e figuram nas fichas técnicas dos mais importantes discos gravados por uma gama variada de artistas. Compõem, também, bandas que acompanham expressivas figuras do cenário artístico nacional e internacional – Caetano Veloso, Gilberto Gil, Milton Nascimento, João Gilberto, Gal Costa, Elís Regina, César Camargo Mariano, Hermeto Pascoal, Djavan, Edu Lobo, Burt Bacharat, Shirley Bassey, Anita O’Day, Joe Williams, Natalie Cole, Júlio Iglésias, Sadao Watanabe, entre outros.

A BANDA MANTIQUEIRA iniciou suas apresentações tocando nos bares de São Paulo. Primeiro, foi no Sanja Jazz Bar, em curta temporada. Depois,  tocou no Bar Vou Vivendo durante quatro anos, às segundas-feiras, sempre com casa lotada. Por seis anos, ocupou o palco do Supremo Musical, todas as terças-feiras, também com lotação esgotada. Acompanhou o cantor João Bosco no Parque Ibirapuera e no programa da TV Cultura – Bem Brasil.  Participou do Kaiser Bock Winter Festival, no Palace, em São Paulo, ao lado de Gal Costa, Guinga e Sérgio Santos. Apresentou-se em Lisboa-Portugal, na Expo-98 e também nos jardins do Palácio de Cristal na cidade do Porto, naquele país; participou do Free Jazz Festival com apresentações no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Nos shows da BANDA MANTIQUEIRA no Supremo  notava-se, constantemente, presenças de importantes músicos como Paquito D’Rivera, Joshua Redman, César Camargo Mariano, Jane Duboc, Rosa Passos, Guinga, Nelson Ayres, Roberto Sion, Laércio de Freitas, Gil Jardim, Dori Caymmi, Arismar do Espírito Santo, Toquinho, Hermeto Pascoal, Teco Cardoso, Sizão Machado, entre outros. Nessas ocasiões, ocorreram memoráveis “canjas”.

O primeiro  CD da banda – ALDEIA –  logrou obter nominação para o prêmio GRAMMY – a mais alta condecoração da indústria fonográfica mundial – na categoria de Melhor Performance de Jazz Latino,  em 1998. Em outubro de 2000, foi lançado o segundo CD – BIXIGA – homenagem ao bairro paulistano onde moram grande parte dos músicos da banda.

Nos dias 19, 20, 21 e 22 de dezembro de 2000, a BANDA MANTIQUEIRA juntamente com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – OSESP fez quatro concertos de música popular brasileira, na Sala São Paulo, sob a regência do Maestro John Neschling. Esses concertos foram gravados em CD do selo da Osesp. Empresários norte-americanos que estiveram presentes nesses concertos contrataram a BANDA MANTIQUEIRA para uma turnê nos Estados Unidos tendo a banda se apresentado em Costa Mesa; no Festival de Jazz de San Francisco, em Chicago,  e  Michigan., recebendo elogiosas críticas publicadas nos importantes jornais americanos The Los Angeles Times e  Chicago Tribune.

Da parceria com a OSESP, além do disco gravado ao vivo nos concertos no final do ano 2000, resultou outro CD, este com a participação da cantora brasileira radicada nos Estados Unidos – Luciana Souza –, também gravado ao vivo em concertos que aconteceram no mês de dezembro de 2004, na Sala São Paulo.

Outra série de concertos da BANDA MANTIQUEIRA com a OSESP e a cantora Monica  Salmaso, aconteceu  na Sala São Paulo, em dezembro de 2006. O que resultou dessa nova série de concertos está registrado no novo CD “OSESP – BANDA MANTIQUEIRA e MÔNICA SALMASO”, lançado pelo selo Biscoito Fino, em 2007.

Em setembro de 2005, participou do Musikfest  Bremen, na Alemanha, realizando 6 concertos, todos com grande sucesso.

Em dezembro de 2005, lançou novo CD  “Terra Amantiquira”, pelo selo Maritaca. Terra Amantiquira ganhou o Prêmio Tim de Música – Edição 2006 – como Melhor Álbum de Música Instrumental. Nessa mesma categoria, foi indicada e nominada ao Grammy Latino 2006.

No dia 31 de dezembro de 2008, na virada do ano, participou de concerto na Sala São Paulo com a OSESP e a cantora Mônica Salmaso, que foi transmitido ao vivo pela ARTE TV para diversos países da Europa.

Em 19 de agosto de 2009, realizou memorável concerto na Sala São Paulo tendo como convidado o saxofonista e clarinetista cubano, radicado nos Estados Unidos – PAQUITO D’RIVERA.

Iniciou, em 15 de setembro de 2011, a série de concertos e workshops do projeto BANDA MANTIQUEIRA – TURNÊ NACIONAL 2011, aprovado pelo Ministério da Cultura e patrocinado pela Petrobras. Nessa primeira fase do projeto foram visitadas as seguintes cidades: Jaboticabal – SP, Maringá – PR; Tatuí – SP, Varginha – MG, Campo Grande – MS e Itajaí – SC.

Em 04 de outubro de 2011, participou do Brazil Festival in Amsterdam, na Holanda, realizando concerto no Concertgebouw com a Jazz Orchestra of The Concertgebouw.

15/08 – Soundscape Big Band convida OHAD TALMOR  (saxfonista americano) – 21h – inteira R$ 20,00 – meia R$ 10,00

Soundscape Big Band uma das mais relevantes bandas brasileiras proporciona uma ampla gama de linguagens musicais cheia de texturas contemporâneas e arranjos especiais e exclusivos com abordagens na música clássica e o jazz bem como da influência da música brasileira como ponto de partida.

– A banda tem a experiência de músicos que tocaram com Maria Schneider, Dee Dee Bridgewater, Lee Konitz, Billy Eckstine, Dianne Schuur, Regina Carter, Orquestra Hampton Lionel e com músicos brasileiros, como Tom Jobim, Ivan Lins, Milton Nascimento.

15 de Agosto no Teatro Commune a Soundscape Big Band tem o grande prazer em dividir o palco com o saxofonista e compositor  Ohad Talmor, um expoente do jazz contemporâneo no cenário jazzista de Nova York.

Segunda dia 22/08 – Pixinguinha na Pauta direção Flávio Sandoval – 21h – inteira: R$ 20,00 – meia R$ 10,00

Show baseado nos arranjos de Pixinguinha feitos para a Rádio Tupi do Rio de Janeiro na década de 30, adaptados para a formação atual, com músicos de destaque do cenário paulista.

Busca interação com o público, através da descrição de cada música, evidenciando o estilo e a forma que era apresentada na época.

Trazer ao público presente uma viagem aos auditórios das rádios  ,Tupi e Nacional, onde o programa de “Almirante”  apresentava vários temas musicais , possuindo um caráter informativo e didático. Para cada música que a orquestra tocava, uma história era contada.

Estilos como: Maxixe, polca, valsa, choro, samba, schottisch ,marcha, sertão apresentados, fazendo do show “Pixinguinha na Pauta” um retorno ao anos de 1930.

Além das composições e arranjos  de Pixinguinha a Orquestra apresenta músicas de: Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth, Cardoso de Meneses Filho,  Sinhô, Henrique Nepomuceno….enrte outros. Vale a penha conferir.

Formação:
Flauta / flautim:  Gabriela Machado
Sax soprano e adaptação dos arranjos:  Flávio Sandoval
Sax alto 1:   Luís  Arruda
Sax alto 2:  Ramiro marques
Sax tenor 1:  Mario Checheto
Sax tenor 2: Cesar Albino
Sax Baritono: Amilcar Lobosco
Baixo acústico: Ge Cortes
Guitarra semi- acústica:  Daniel Nakamura
Piano: Juan Rossi
Bateria:  Vander Carneiro
Percussão:  Alexandre Biondi

Repertório:
01 – Conversa fiada-Pixinguinha
02 – Kananga do Japão- Sinhô
03 – Quem é você?- Pixinguinha
04 – Passinho de Moça-Henrique Nepomuceno
05 – Água do Vintém-Chiquinha Gonzaga
06 – Carinhoso- Pixinguinha
07 – Turuna- Ernesto Nazareth
08 – Lamentos- Pixinguinha
09 – Flor do Abacate-Álvaro Sandim
10 – Minha vez-Pixinguinha
11 – Assim é que é-Pixinguinha
12 – A mulher do bode-Cardoso de Meneses Filho
13 – Corta Jaca- Chiquinha Gonzaga
14 – Cabeça de Porco-Anacleto de Medeiros
15 – Cercando Frango-Pixinguinha
16 – Pula Sapo-Pixinguinha
17 – Salve o sol- Eduardinho Violão

Segunda dia 29/08 – JuruFrevo Big Band (Movimento Elefantes) – 21h – inteira: R$ 20,00 – meia R$ 10,00

A JuruFrevo é uma Big Band que tem como proposta incluir o frevo no cenário instrumental, com arranjos modernos, sempre em conexão com outros ritmos regionais do Brasil possibilitando maiores liberdades aos solistas como no estilo jazzístico. No repertório, primordialmente arranjos e músicas autorais, abrindo espaço também para releituras de grandes clássicos dos mestres do frevo, como: Duda, Capiba, Severino Araújo, Sivuca, Zé Menezes, Dominguinhos, Levino Ferreira, Spok, entre outros. Com uma cozinha cheia de swing e os metais precisos, a Jurufrevo Orquestra surge no cenário brasileiro para somar em qualidade musical e trazer divertimento à um público que valoriza não só a música instrumental como a cultura do Brasil em si.

Serviço:
“Toda Segunda é dia de Big Band”
Local: Teatro Commune (Rua da Consolação, 1.218, Consolação)
Classificação: livre

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *