SESC Pinheiros recebe estreia de “Quarto 19”, adaptação do conto de Doris Lessing, dirigida por Leonardo Moreira

Crédito: Cris Lyra

Monólogo de Amanda Lyra tem construção cênica inspirada em obras de artistas como Louise Bourgeois e Edward Hopper

Matéria: Divulgação

Em março, o Sesc Pinheiros recebe Quarto 19, espetáculo com direção de Leonardo Moreira. Com estreia no dia 9 de março, o monólogo, concebido e encenado por Amanda Lyra, segue em temporada no Auditório da unidade, de quinta a domingo, às 20h30, até o dia 15 de abril.

A montagem é baseada no conto No Quarto Dezenove (To Room Nineteen),da escritora britânica Doris Lessing (1919-2013), Nobel de Literatura em 2007. Publicado originalmente em 1978, o conto apresenta Susan Rawlings, uma mulher em um caminho de auto-percepção e apreensão de seu “eu” autêntico. Os efeitos provocados pelo casamento burguês com Matthew, a fragmentação da identidade feminina daí resultante, a extenuante procura pelo significado da vida e a tensão entre o “eu social” e o “eu marginal” são tópicos evidenciados no dilema da personagem.

O enredo trata da independência feminina no mundo contemporâneo e sua identificação com os papeis sociais de mãe, esposa e organizadora do lar, representados aqui por uma personagem que, mesmo tendo conquistado o que poderia ser o ideal maternal, não encontra satisfação pessoal, buscando refúgio no silêncio, no “quarto nº 19”.

“Ela está consciente de que é prisioneira de alguma coisa maior e, em seu discernimento embotado, passa a acreditar que está doente”, conta Amanda Lyra. “No entanto, vemos que o mal que a aflige está no âmago da sociedade, e não em algum lugar escondido das anomalias individuais. A personagem vive assim a luta silenciosa de muitas outras mulheres”, prossegue.

Além da narrativa de Lessing, a montagem é concebida com forte influência das artes visuais. Na pesquisa para construção do espetáculo, foram referências diretas no processo a escultora francesa Louise Bourgeois (1911-2010), com a série de pinturas e esculturas que refletem sua vida como mãe e esposa, Femme Maison; e o estadunidense Edward Hopper (1882-1967), através de suas pinturas.

Sobre Leonardo Moreira

Leonardo Moreira é dramaturgo e diretor da Companhia Hiato, de São Paulo. Mestre em Dramaturgia pela USP, estreou como autor e diretor com a peça Cachorro Morto (2008) e com o texto seguinte, Escuro, recebeu o Prêmio Shell 2011 de Melhor Autor. Com O Jardim recebeu 19 indicações aos principais prêmios do país e venceu o Prêmio Shell 2012 como Melhor Autor, além do Prêmio APCA 2012 de Melhor Direção, Prêmio Governador do Estado de São Paulo – Melhor Espetáculo, e Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro – Melhor Autor e Melhor Espetáculo. Depois também escreve e dirige com a Cia. Hiato os espetáculos Ficção, indicado em três categorias (direção, ator e atriz) no prêmio Shell 2014, e o 2 Ficções, realizado em co-produção com o KunstensFestivaldesArts (Bruxelas, onde fez sua estreia mundial).

Também são de sua autoria Bagagem (finalista do Prêmio Luso Brasileiro de Dramaturgia), Dois Pássaros, Prometheus- a tragédia do fogo (espetáculo selecionado a participar dos Festivais de Avignon e Edimburgo e indicado a três Prêmios Shell 2012, indicado a Melhor Autor Prêmio CPT 2012,) e Menor que o Mundo. Dirigiu o espetáculo O Silêncio Depois da Chuva(indicado a dois Prêmios Shell em 2012).

Sobre Amanda Lyra

Formada em atuação pela Escola de Arte Dramática da USP, idealizou, produziu e atuou nos espetáculos:Tragédia: uma tragédia, de Will Eno, com direção de Carolina Mendonça; Uma História Radicalmente Condensada da Vida Pós-Industrial, dirigido por Carolina Mendonça e com texto criado a partir do livro Breves Entrevistas com Homens Hediondos, de David Foster Wallace. Atuou dos espetáculos A Pior Banda do Mundo, da Cia. dos Outros e Mateus,10,do grupo Tablado de Arruar (Ganhador do Prêmio Shell 2012 de Melhor Autor). Fez assistência de direção e atuou para Leonardo Moreira no espetáculo O Jardim, da Cia Hiato, vencedor de Melhor Autor no prêmio Shell e Melhor Direção no Prêmio APCA. Também atuou nos espetáculos Êxtase, texto de Mike Leigh e direção de Mauro Baptista Vedia, que estreou no CCBB-SP, além deHá um Crocodilo Dentro de Mim, com direção de Silvana Garcia. Co-dirigiu, com Carolina Bianchi, o espetáculo Solos Impossíveis, da Cia. do Outros.

Na TV, atuou na série de FDP(HBO),no telefilme A Performance, dirigido por Mauro Baptista Vedia e Luis Dantas e na série Agora Sim (do canal Sony).

Sinopse

A peça é construída a partir do conto homônimo da escritora britânica Doris Lessing, prêmio Nobel de Literatura em 2007. Quarto 19 é  história de uma mulher de classe média, casada e mãe de três filhos. Após anos sem trabalhar fora, dedicada à criação dos filhos, ela espera  o momento em que o mais novo entrará para a escola, quando finalmente terá algum tempo para si. Mas quando isso acontece, ela não sente a liberdade que esperava. Fugindo da irritação doméstica e do ritmo familiar, ela então passa a alugar um quarto de hotel no centro da cidade, o quarto 19.

Ficha técnica:
Concepção e Atuação: Amanda Lyra
Direção: Leonardo Moreira
Preparação Corporal: TarinaQuelho
Iluminação e cenografia: Marisa Bentivegna
Fotos: Cris Lyra
Tradução: Amanda Lyra
Assessoria de imprensa: Pombo Correio
Produção: Aura Cunha | Elephante Produções Artísticas

Serviço:
Quarto 19 (de 9 de março a 15 de abril)
Quando: Quinta a sábado (20h30)
Local: SESC Pinheiros (Rua Paes Leme, 195)
Duração: 80 minutos
Ingressos:
– R$ 25,00 (inteira);
– R$ 12,50 (meia: estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência);
– R$ 7,50 (meia: estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência);
Classificação: 18 anos
*Não haverá espetáculo em 14 de abril

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *