terça-feira, 16 abril, 2024
Literatura

Amores proibidos na Inglaterra Vitoriana

Crédito: Divulgação / Clície Maria Covizzi Alvarez

Em “Sonho e Realidade”, Clície Maria Covizzi Alvarez narra os dramas de um triângulo amoroso na aristocracia europeia do século XIX

Matéria: Divulgação
Foto: Divulgação / Clície Maria Covizzi Alvarez 

Jovem e rica, de família inglesa, Christine nasceu na Índia Imperial e foi enviada pelos pais a um colégio interno na Suíça até os 15 anos. Com a morte da mãe, ela se muda com a família para a Inglaterra onde permanece até os 20, quando é levada à Escócia. Lá, Christine atua como preceptora dos filhos de Lord Albert, um nobre banqueiro casado com Lady Melanie, cuja saúde está comprometida. É desta forma que o leitor é apresentado à protagonista de Sonho e Realidade, de Clície Maria Covizzi Alvarez.

No romance, a beleza e a cultura da personagem imediatamente despertam os olhares dos frequentadores da casa de Lord Albert, que desconhecem sua real identidade. Ao mesmo tempo em que serviçais da mansão ficam enciumados, a garota se torna o centro das atenções, especialmente de duas pessoas: o próprio Lord Albert e Cristopher, o maestro que ensina piano à filha do banqueiro.

Em seu íntimo, Christine corresponde ao sentimento de Albert, mas suas convicções e firmeza de caráter jamais permitiriam que cedesse a qualquer tentação. Já o banqueiro se vê aprisionado pelas emoções e precisa lutar com todas as suas forças para não sucumbir.

Tomou sua mão e a beijou, imprimindo nela o calor de seus lábios.
Não podia tocar nos dela, como desejava ardentemente, então deixou sua marca,
na parte interna de sua mão. Era o grito surdo de seu amor desesperado;
de seu desejo afogado, de seu coração angustiado.
Era o ferro em brasa que o dilacerava por não poder tocá-la, possuí-la.
(Sonho e Realidade, p. 384)

Autores, pintores, músicos e obras que circulavam entre a aristocracia europeia do século XIX passeiam pelo texto da autora santista. Embora lance mão de alguma licença poética, Clície não abdica do rigor científico quando cita os livros “A Origem das Espécies” de Charles Darwin e “O Capital” de Karl Marx, o quadro “A jornada de uma cortesã”, de William Hogarth, ou a música “Noturno número um”, de Chopin.

Tal como um Eça de Queiroz, em Sonho e Realidade, primeiro volume da trilogia A vida Continua, Clície Maria encanta o leitor pela riqueza nos detalhes. É possível sentir o toque do “veludo havana” da cadeira estofada e dos “tapetes na cor café” ou o estômago contraído pela ansiedade de uma viagem que mudará a vida da personagem central. Uma história intensa, que aborda os encontros do destino em contraponto aos valores aristocratas da efervescente Europa do século XIX.

Ficha técnica Livro:
Sonho e Realidade
Autor: Clície Maria Covizzi Alvarez
ISBN: 978-65-254-2055-4
Páginas: 438
Preço: R$ 84,90
Onde encontrar: Amazon | Editora Viseu

Sobre a autora:

Clície Maria Covizzi Alvarez é santista de nascença, hoje reside em São Bernardo do Campo (SP). Tem na leitura, na escrita e na composição, atividades permanentes desde a infância. Aos 13 anos, ficou em segundo lugar com o chorinho “Saltitando” em um concurso da prefeitura de Santos. Criou cursos para adultos da Companhia Siderúrgica Paulista e lecionou História e Matemática em escolas particulares e estaduais. Ao se aposentar, decidiu se dedicar de vez à escrita. Participou de três coletâneas de poesia pelas editoras Chiado e Lura e já trabalha nos seus próximos romances.

Leave a Response