quarta-feira, 17 abril, 2024
Exposição

Galatea apresenta coletiva “Líquen Teso”

Exposição conecta obras das artistas Camila Leite, Fabiana Preti, Gabriela Melzer, Mariana Rodrigues e Marina Weffort combinando pintura e experimentações têxteis

Gabriela Melzer 1999, Continuous Expansion of Consciousness, 2023. Foto: Ding Musa

Matéria: Divulgação
Foto: Ding Musa

A coletiva Líquen Teso abre em 20 de fevereiro o calendário de exposições 2024 da Galatea em São Paulo. A busca pelo abstrato entrelaça na mostra os bordados de Camila Leite, as telas de couro de Fabiana Preti, a pintura onírica de Gabriela Melzer, as paisagens não-figurativas de Mariana Rodrigues e a tecelagem reversa de Marina Weffort.

Líquen Teso é a fusão dos títulos de dois trabalhos presentes na exposição. Estudo sobre líquens (2023), de Mariana Rodrigues, integra a pesquisa em torno do que a artista identifica como “pinturas abstratas naturais” — padrões, manchas e cores que se superpõem na natureza e são por ela observados e catalogados durante períodos de imersão na floresta. Teso (2023) é o título do trabalho da série Casear de Fabiana Preti, em que a artista abre casas de botão no couro, deixando fendas coloridas se distribuírem na superfície como notas numa partitura.

Mesmo nos encontros dos caminhos, há diferentes formas de expressão enquanto materiais e práticas. Dedicando-se ao tecido como suporte, Weffort traz um processo de tecelagem reversa, no qual as formas são obtidas no desfazer da trama. Ela joga com os limites das linguagens artísticas ao inscrever o material de caráter tridimensional na bidimensionalidade normalmente reservada ao desenho e à pintura.

Por outro lado, Camila Leite exerce na prática do bordado um encontro de temporalidades que se manifestam tanto na aplicação de retalhos do enxoval de suas avós quanto no tempo exigido pelo próprio ato de costurar. Assim como a atmosfera onírica de Melzer, o sentir o embaralhamento na estrutura temporal é comum nas obras que são evocadas como se fossem compostas por fragmentos e memórias de paisagens.

“Não nos interessa reiterar o dualismo estanque que separa o sensível do formal. Como já disseram por aí, também acreditamos que o sensível pensa. Assim, organizamos estas obras de modo a favorecer a conversa, num jogo de correspondências entre cor, textura, ordem e ritmo. De repente, o apuro e síntese de Weffort falam com a opulência e a expansão das formas de Melzer. O casear e o couro de Preti chamam a profusão das linhas e tecidos de Leite. As cores frias se tornam quentes e os Sentimentos lunares de Rodrigues preenchem a sala”, afirma Fernanda Morse, autora do texto crítico da mostra.

A coletiva convoca o público a sentir o contorno do sonho, o bordado do tempo, o transbordar da cor e as formas. Nessa iniciativa experimental, Líquen Teso reúne artistas que vêm consolidando suas trajetórias, mas ainda não são representadas por uma galeria (com exceção de Marina Weffort, representada pela galeria Cavalo no Rio de Janeiro).

Sobre a Galatea

A Galatea é uma galeria que surge a partir das diferentes e complementares trajetórias e vivências de seus sócios-fundadores: Antonia Bergamin esteve à frente por quase uma década como sócia-diretora de uma galeria de grande porte em São Paulo; Conrado Mesquita é marchand e colecionador, especializado em descobrir grandes obras em lugares improváveis; e Tomás Toledo é curador e contribuiu ativamente para a histórica renovação institucional do MASP, de onde saiu em 2022 como curador-chefe.

Tendo a arte brasileira moderna e contemporânea como foco principal, a Galatea trabalha e comercializa tanto nomes já consagrados do cenário artístico nacional quanto novos talentos da arte contemporânea, além de promover o resgate de artistas históricos. Tal amplitude temporal reflete e articula os pilares conceituais do programa da galeria: ser um ponto de fomento e convergência entre culturas, temporalidades, estilos e gêneros distintos, gerando uma rica fricção entre o antigo e o novo, o canônico e o não-canônico, o erudito e o informal.

Além dessas conexões propostas, a galeria também aposta na relação entre artistas, colecionadores, instituições e galeristas. De um lado, o cuidado no processo de pesquisa, o respeito ao tempo criativo e o incentivo do desenvolvimento profissional do artista com acompanhamento curatorial. Do outro, a escuta e a transparência constante nas relações comerciais. Ao estreitar laços, com um olhar sensível ao que é importante para cada um, Galatea enaltece as relações que se criam em torno da arte — porque acredita que fazer isso também é enaltecer a arte em si.

Nesse sentido, partindo da ideia de relação é que surge o nome da galeria, tomado emprestado do mito grego de Pigmaleão e Galatea. Este mito narra a história do artista Pigmaleão, que ao esculpir em marfim Galatea, uma figura feminina, apaixona-se por sua própria obra e passa a adorá-la. A deusa Afrodite, comovida por tal devoção, transforma a estátua em uma mulher de carne e osso para que criador e criatura possam, enfim, viver uma relação verdadeira.

Serviço:
Exposição – Líquen Teso (de 20 de fevereiro a 16 de março)
Quando: Segunda à quinta (das 10h às 19h), sexta (das 10h às 18h), sábado (das 11h às 15h)
Local:  Galatea (Rua Oscar Freire, 379, Jardins, São Paulo/SP)
Estacionamento: Estacionamento no local

Leave a Response