terça-feira, 16 abril, 2024
Teatro

Marisa Orth retorna com o sucesso “Bárbara”, primeiro espetáculo solo de sua carreira, livremente inspirado no livro “A Saideira”, de Barbara Gancia 

Com a luta contra o alcoolismo como tema central, a montagem traz ainda reflexões de Marisa em um texto emocionante e cheio de pitadas cômicas

Crédito: Bob Wolfenson

O espetáculo, com idealização e direção de Bruno Guida e dramaturgia de Michelle Ferreira, estreia dia 01 de março, no Teatro Bravos, em São Paulo 

Matéria: Divulgação
Foto: Bob Wolfenson

“Há pessoas cujas vidas imploram para ser escritas”. Este pequeno trecho, de autoria do sempre genial Ruy Castro, foi extraído do prefácio de “A Saideira: Uma dose de esperança depois de anos lutando contra a dependência” (Editora Planeta), a celebradíssima autobiografia em que a escritora e jornalista Barbara Gancia expõe de peito aberto um tema de sua vida, que é tabu até hoje para muitos: a luta contra o alcoolismo.

E como há pessoas cujas vidas imploram também para ser representadas e ganhar novos contornos, as tragicômicas histórias dos mais de 30 anos de dependência do álcool e suas consequências contadas no livro finalmente ganham os palcos em “Bárbara”, um espetáculo solo estrelado por Marisa Orth. O retorno será no palco do Teatro Bravos, em São Paulo, no dia 01 de março, com sessões às sextas e sábados (às 21h) e domingos (às 18h), em curta temporada somente até 28 de abril. Apresentado pelo Governo do Estado de São Paulo, por Meio da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas e Pitaco Produções “Bárbara” já tem ingressos disponíveis pelo site www.sympla.com.br ou na bilheteria do Teatro Bravos (Rua Coropé, 88 – Pinheiros).

Dada a imensa repercussão que o livro causou desde seu lançamento, bem como as inúmeras e necessárias palestras que Barbara Gancia tem feito sobre o tema nos últimos anos, o desafio da montagem sempre foi o de não realizar uma simples transposição para o palco. “Como encenar algo já definitivo e tão bem relatado em um livro? Ao mesmo tempo em que a gente pensava nisso, sempre houve a certeza de que ‘A Saideira’ possui uma força cênica e precisava ganhar o palco para tocar outros públicos”, diz Marisa Orth.

A solução criada pelo diretor e idealizador do projeto, Bruno Guida, apostou em recursos cênicos simples e no jogo com a plateia, elementos que somente o teatro pode oferecer. Com uma dramaturgia livremente inspirada no livro, a autora Michelle Ferreira, utiliza algumas situações extraídas do livro, bem como inventa outras histórias, para dar forma à essa “nova Barbara ficcional”. “Bárbara” ganhou, assim, uma encenação limpa, privilegiando o trabalho de atriz em um texto forte, cômico e ao mesmo tempo emocionante.

Toda narrativa será de desconstrução e os elementos cênicos colaboram nesse sentido. O espetáculo conta com Direção de Movimento e Suporte Cênico de Fabricio Licursi, Direção de Arte de Gringo Cardia, Figurinos de Fause Haten, Designer de Luz de Guilherme Bonfanti, Trilha Original de André Abujamra e Fotos de Bob Wolfenson. A Realização é da Palco 7 Produções, de Marco Griesi e Solo Entretenimento, de Daniella Griesi.

Uma das atrizes mais versáteis de sua geração, com imensa contribuição na TV, Teatro Musical, Cinema e Música, Marisa volta às suas origens para comemorar a data. “Bárbara vai ser um exercício para mim de multitarefas, eu como atriz posso estar me exercitando, em tantas frequências: tem bastante humor, tem papo reto com a plateia, tem um trabalho de composição corporal, explorando coisas que eu sempre desejei fazer e mesmo assim é uma peça simples, é uma peça de ‘contação’ de uma história que a gente achou relevante, emocionante e que nos inspirou a criar uma outra história. Estou muito entusiasmada”, reflete.

Ficha técnica:
Marisa Orth é:
“Bárbara”
Livremente inspirado a partir de “A Saideira: Uma dose de esperança depois de anos lutando contra a dependência” de Barbara Gancia
Idealização e direção: Bruno Guida
Dramaturgia: Michelle Ferreira
Direção de arte: Gringo Cardia
Cenografia: Anna Turra
Designer de luz: Guilherme Bonfanti
Figurino: Fause Haten
Visagismo: Eliseu Cabral
Trilha original: André Abujamra
Direção de movimento e suporte cênico: Fabricio Licursi
Assistente de direção: Mayara Constantino
Fotos: Bob Wolfenson
Operador de som: Randal Juliano
Operador de luz: André Pierre
Camareira: Rosa Passe
Diretor de palco: Denis Nascimento
Redes sociais: André Massa
Designer: Kelson Spalato
Estratégia digital: Matheus Resende
Assessoria de imprensa: Motisuki PR
Produção executiva: Bila Bueno
Direção de produção: Marco Griesi e Daniella Griesi
Produção: Palco 7 Produções e Solo Entretenimento
Realização: Pitaco Produções e Governo do Estado de São Paulo, por Meio da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas
Apresentado por Governo do Estado de São Paulo, por Meio da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas

Marisa Orth

Nascida em São Paulo, é filha de Antônio Teófilo de Andrade Orth e Marllene Domingos Orth, e mãe de João Antônio Orth Pereira. Formou-se psicóloga na PUC – SP e atriz pela Escola de Arte Dramática da USP. Ao longo dos seus 40 anos de carreira, sua atividade profissional estendeu-se em Teatro musical, Televisão, Cinema e a Música, tanto em shows, como em gravação de discos.

Entre seus principais trabalhos estão as participações em Novelas (“Rainha da Sucata”, “Deus nos Acuda”, “Agora é que são Elas”, “Bang Bang”, “Sangue Bom”, “Haja Coração” e “Tempo de Amar”, todas na Rede Globo de Televisão); Programas de humor (“TV Pirata”, “Sai de Baixo”, “Toma Lá Dá Cá”, “Os Aspones”, “S.O.S Emergência”, “Macho Man”, “Edifício Paraíso”, todos também na Rede Globo de Televisão). Nestes programas esteve ao lado de grandes atores como: Miguel Falabella, Adriana Esteves, Aracy Balabanian, Luís Gustavo, Diogo Vilela, Luís Fernando Guimarães e outros.

No Cinema, atuou em “Não Quero Falar Sobre Isso Agora”, dirigido por Mauro Farias, “Capitalismo Selvagem”, dirigido por André Klotzel, “Doces Poderes”, dirigido por Lucia Murat, “Boleiros”, dirigido por Ugo Giorgetti, “Por Trás do Pano”, dirigido por Luís Villaça, “Durval Discos”, dirigido por Anna Muylaert, e “O bilhete premiado”, direção de Maurício Farias. No Teatro, esteve em vários espetáculos, como “Fica Comigo Esta Noite”, “Seis Personagens à Procura de um Autor”, “O Que o Mordomo Viu”, “A Família Addams”, “O Inferno Que Eu Sou”, “Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos”, e outros.

Há dezenove anos é diretora fundadora da Escola Spectaculu para jovens de baixa renda da cidade do Rio de Janeiro, já tendo gerado mais de 6.000 empregos.

Barbara Gancia

Barbara Gancia (sem acento) é jornalista e ombudsman do mundo. Com humor, provocações e críticas desconstrutivas, foi colunista do jornal “Folha de S. Paulo” durante 36 anos e da Bandnews FM; apresentadora do programa “Dois na Bola” com Silvio Luiz, no Bandsports, e integrou o elenco do programa “Saia Justa”, no canal GNT.

Escreveu o livro “A Saideira”, autobiografia em que conta os casos “bárbaros” (neste caso, com acento), no bom e no mau sentido, de sua vida ao longo de 30 anos bebendo, e como conseguiu finalmente encarar o alcoolismo de frente e vencê-lo. Está há 15 anos sem beber.

Hoje aposentada, ela passa o tempo fazendo geleias e pimentas e polemizando com governos, milícias, talibãs, millenials, a geração Z e outros grupos de extremistas diariamente com os seus 530 mil seguidores no Twitter @barbaragancia.

A peça “Bárbara” (neste caso, com acento e no sentido assombroso) é mais uma das vitórias de sua vida depois do álcool.

Serviço:
Bárbara (de 01 de março a 29 de abril – excepcionalmente dias 05, 06 e 07 de abril não haverá espetáculo)
Quando: sextas-feiras e sábados (21h) e domingos (18h)
Local: Teatro Bravos (Rua Coropés, 88, Pinheiros, Complexo Aché Cultural)
Ingressos: R$ 120,00 (premium ) e R$ 100,00 (inferior)
Capacidade: 611 lugares
Classificação etária: 14 anos
O Teatro possui acessibilidade e ar-condicionado.

Leave a Response